Siga

Ninguém quer falar do que não gosta

Eu tô um pouco atrasado no assunto. Essa discussão estava em alta no ano passado, mas todo mundo deixou de falar. Em todo caso, vamos lá. Têm tempos que as pessoas comentam que “poxa, toda resenha que eu vejo por aí é positiva, todo mundo adora tudo, como pode isso?”. Calma lá que não é bem assim. Primeiro que existem resenhas negativas, sim. São em menor número, mas existem. E as razões para serem em menor número são várias. Primeiro que ninguém quer perder tempo falando do que não gosta. Pois não é só o tempo de escrever. É o tempo de ouvir, fazer uma análise mínima para que a opinião não se resuma a “não curti” e então, apenas então, escrever. No geral, os processos de publicação ainda en

Nos cinco anos da tragédia da Boate Kis, entrevistamos Luciane Treulieb, diretora de "Depois Da

Cartaz de divulgação do documentário "Depois Daquele Dia". Imagem: Divulgação//TV OVO Luciane Treulieb é jornalista, formada pela Universidade Federal de Santa Maria, mesmo lugar onde trabalha, como servidora pública. Lá, ela é editora-chefe da Arco, revista de jornalismo científico e cultural da instituição. Em 2013, após retornar para Santa Maria tendo cursado as cadeiras do mestrado em periodismo documental na Universidad Nacional de Tres de Febrero, em Buenos Aires, Luciane se somou ao grupo de pessoas diretamente atingidas pela tragédia da Boate Kiss: seu irmão, João Aloísio Treulieb, foi uma das 242 vítimas. A soma de sua experiência pessoal com o tino e a capacitação para a produção

É gordice que chama?

É guloseima, é sobremesa, é comida gostosa. Mas não é "gordice". Foto: Luíza Tavares//BOCA Jornalismo Não é. Pode chamar de guloseima, doce, sobremesa, comida gostosa, qualquer coisa menos gordice. Sabe por quê? Porque todo mundo come. Não é só gordo que gosta de sorvete. A questão é que as pessoas gordas são constantemente relacionadas com a comida. Sendo que são pessoas perfeitamente capazes de realizar atividades e viver como qualquer outra – óbvio, considerando as limitações individuais de cada um. De qualquer forma, pra essa discussão, não importa como a pessoa chegou no peso que ela tem, mas o porquê desse peso ter tanta importância para os outros. Não é sobre saúde quando se critica o

Faz diferença?

"Reprodução Proibida" de René Magritte. Foto: Divulgação. Existe uma máxima atribuída à Rosa Luxemburgo que acho uma síntese muito bonita a respeito de sistemas mais igualitários e justos para a sociedade. Nessa máxima, a filósofa e economista marxista reforça que, no horizonte da sociedade socialista, o ideal de mundo é um espaço no qual todos seríamos “socialmente iguais, humanamente diferentes e totalmente livres”. A relação entre igualdade e diferença, bem como a possibilidade de emancipação e vida livre a partir da dosagem entre esses elementos, sempre pareceu para mim como uma profecia digna, suficientemente verdadeira para buscar se alinhar. O alinhamento, por sua vez, prevê que a gen

Bolsonaro é cria nossa

Desde a longa pausa que dei nesse espaço, apenas um nome se manifesta nas conversas dos frequentadores deste bolicho. Jair Bolsonaro é protagonista, ao mesmo tempo, das defesas mais apaixonadas e das acusações de mais baixo teor. Que não fique em dúvida o posicionamento deste humilde barman: vejo no presidenciável um especial potencial de causar problemas no nosso funcionamento. Entretanto, como isso aqui é de pobre mas não é de bagunceiro, está na hora de definirmos os termos desta repulsa. E, principalmente, defender a tese de que os setores minimamente identificados com pautas progressistas são os principais responsáveis pelo surgimento desse indivíduo como cenário político possível. O es

Os discos de 2017

Todo ano eu penso em fazer uma lista de discos do ano e nunca faço. Resolvi fazer isso justamente no ano em que eu menos ouvi coisas novas, mas vida que segue. Essa não é uma lista de melhores discos, é só uma lista de álbuns que ouvi em 2017 e que acho que as pessoas deveriam ouvir também. Devo ter deixado passar muita coisa boa por aí, não tenho dúvidas. Mas também não tenho intenção nenhuma de fazer uma lista super completa. Em todo o caso, segue a lista, com alguns breves (brevíssimos) comentários: niLL - Regina O niLL e toda a galera da Sound Food Gang, de Jundiaí, tem lançado muita coisa boa. É basicamente um pessoal que se juntou pra fazer música como queriam e que deu muito certo. "J

  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
Procurar por tags
Arquivo