Siga

O apito do trem - A trajetória da Estação Férrea em Santa Maria

Hoje, ir de Santa Maria a Porto Alegre pelas rodovias leva cerca de 4 horas. Mas no século XIX, antes da criação das linhas ferroviárias, chegar à capital demorava, em média, 17 dias. Nas últimas décadas do século XIX, as ferrovias instaladas permitiram que a viagem acontecesse em apenas 13 horas. Assim, a pequena cidade da região central do estado alavancou devido à instalação da Estação Ferroviária. POR QUE SANTA MARIA No Rio Grande do Sul do século XIX, haviam dois pontos de relevância ligados ao deslocamento de cargas: a Barra do Rio Grande e o Porto de Porto Alegre. Mas não existia um transporte que levasse as mercadorias em direção ao interior do continente. Assim, foi pensada a constr

De ferroviários a professores

Na esquina da Rua dos Andradas com a Rio Branco, o prédio onde hoje fica o supermercado Carrefour abrigou o que foi a maior escola técnica da cidade e provavelmente uma das maiores do estado. A Escola de Artes e Ofícios, depois chamada Escola Industrial Hugo Taylor, empregava cerca de 150 pessoas, entre funcionários e professores. Administrada com recursos da Cooperativa de Empregados da Viação Férrea do Rio Grande do Sul, a instituição era conduzida pelos padres maristas que enchiam as prateleiras de livros em francês. Ambos, padres e livros, vindos do Velho Continente. Escola de Artes e Ofícios na década de 1930 (Foto: reprodução Relatório da COOPFER, 1933) Wilson Bottega Alves raramente

  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Basic Square
Procurar por tags
Arquivo